Existem pessoas que nos inspiram, outras que nos fazem bem… E aquelas que, sem pedir licença, tocam a nossa alma”. (Lígia Guerra)

Eu nunca fiz a linha romântica. Nunca acreditei em horóscopo ou simpatias. Também nunca acompanhei de perto a vida ou carreira de nenhum artista. Até descobrir Outlander. Ou melhor dizendo, até terminar de ver a série e mergulhar em tudo relacionado a ela.

Foi nessa jornada que descobri também uma atriz nova, com uma história de vida que parece até ficção em alguns momentos. Afinal, não é sempre que as estrelas se alinham. Exceto, é claro, se você se chama Caitriona Balfe.

Tudo o que envolve a trajetória de Cait parece um pouco mágico. A infância numa cidadezinha da Irlanda, sem televisão, mas rodeada de livros e irmãos (seis ao todo). O sonho de ser atriz, interrompido pela chance de conhecer o mundo e conquistar a independência financeira como modelo. Uma carreira bem sucedida na moda, que parecia ter deixado de lado o plano inicial.

Isso até jogar tudo para o alto e ir atrás do verdadeiro sonho. Um recomeço aos 30 anos, sem nenhuma garantia, numa indústria que não costuma ser generosa com mulheres mais velhas. A grande chance batendo à porta com uma ajudinha do destino (também conhecido como embaixada indiana). E não é que Libra e Touro combinam mesmo?

O jeito sincero e pé no chão contrasta com momentos em que a própria Caitriona parece enxergar algo de mágico no seu caminho. Um misto de gratidão pelo que conquistou, sem perder de vista o que fez para chegar até aqui. Uma história que ela compartilha sem reservas e que não é difícil perceber que já inspirou e segue inspirando outras pessoas. Basta uma olhada rápida nas redes sociais para constatar isso.

São várias as mensagens de gente que começou um curso de teatro ou decidiu mudar de área seguindo o exemplo de Cait. São várias também as que confessam ter revisto certos hábitos do dia a dia, passando a fazer escolhas mais sustentáveis. Provas do poder que essa irlandesa tem de influenciar pessoas e, principalmente, de ser consciente disso.

Como ela mesma já admitiu, sua redes sociais são muito mais do que espaços de divulgação e interação com os fãs. São plataformas para compartilhar ideias, defender causas, assim como faz em entrevistas. Nada que surpreenda vindo de alguém que se autodenomina uma “cidadã do mundo” antes mesmo de se identificar como atriz.

Foi pensando nisso, e em homenagem aos 40 anos de nossa Dora Aventureira, que selecionamos 40 frases suas sobre carreira, amor, política, feminismo, crenças e insights pessoais. Esperamos que elas possam inspirar você tanto quanto nos inspiram.

Amor

“Há um momento em sua história onde você é capaz de apontar a hora exata em que se apaixonou, seja por um lugar ou uma pessoa. Eu consigo lembrar de ambos como se fosse ontem.”

“Tenha compaixão. Todos nós somos o mesmo fundamentalmente. Não importa de onde você veio, qual sua religião ou raça. Nós somos fundamentalmente o mesmo.”

“Quando você ama alguém, você quer que essa pessoa seja a melhor versão dela mesma.”

“Algo que adoro sobre a série [Outlander] é que ela mostra que vale a pena lutar por amor.”

“Como as pessoas seguem em frente depois de perderem o amor de suas vidas? É algo realmente interessante de se observar. Isso acontece todos os dias (…). E é uma coisa fascinante sobre a natureza humana. Essa capacidade de continuar.”

“Não é o quanto damos, mas quanto nós dedicamos de amor ao dar.”

Fonte: The Music Sweetly (Tumblr)

Insigths

“Muitas vezes em nossas vidas nós temos a oportunidade de fazer uma grande mudança e o medo pode nos deter. Eu digo: ‘vá em frente!’.”

“Eu tenho vários momentos de ‘o que eu estava pensando?’. Mas, geralmente, são esses erros que levam você a fazer escolhas melhores ou a trabalhar um pouco mais no futuro. Você tem que lutar para criar a vida que você deseja.”

“Eu acho que é bom estudar, viver a vida. Não tenha pressa para entrar nessa indústria, cada um tem seu caminho. Apenas confie em si mesmo e nos seus instintos.”

“Se você programa tudo, você corre o risco de se decepcionar. Eu sempre tomei minhas melhores decisões sem pensar nelas. Eu me permito ser surpreendida e, quando os desafios aparecem, eu os encaro.” 

“Existe uma certa necessidade de reconexão ou retorno. Reconexão com a casa. Quero dizer, nunca trabalhei como atriz na Irlanda. Não trabalho na Irlanda desde os meus 18 anos. E é tão engraçado, porque grande parte da sua identidade vem de onde você é. Mas o país de onde sou, hoje é completamente diferente do país em que cresci.”

Atuação

“Eu acho que também foi uma forma de escapismo. Eu fui criada em Monaghan durante os anos 80, onde não havia muitas coisas para fazer. Além disso, havia muito bullying na escola primária que eu frequentei. Eu acho que foi uma fuga, para sair de eu onde estava.”

“O que é uma pessoa ou personagem senão uma série de memórias e experiências? Então, a essa altura, eu tenho uma espécie de arquivo de quem é a Claire, porque eu passei por diversas cenas e momentos (…). Essa é a beleza de fazer algo por tanto tempo. Você realmente cria, de certa forma, um ser vivo dentro de sua própria mente.”

“Se você vai participar de uma audição e está nervoso porque quer que as pessoas gostem do que está prestes a fazer: liberte e destrua essa necessidade de aprovação. É algo tão simples e bobo, mas funciona para várias situações.” 

“Eu acho que o papel feminista perfeito é ser uma mulher complicada, bagunçada, o que significa que você nem sempre é forte. A fraqueza está em todos nós e eu acho que ser capaz de se mostrar vulnerável, de se permitir ser fraco, também indica uma personalidade forte, de certa forma.”

“É ótimo interpretar alguém que não tem medo de ser quem é.”

Responsabilidade

“Eu acho que foi assim que meus pais me criaram, sabe? Eu acho que eles me criaram para ser uma cidadã do mundo, ser politicamente consciente, cuidar de quem é menos afortunado e lutar por justiça em qualquer forma. Isso é parte de quem eu sou.”

“Vamos ter esperança, mas vamos também nos impor e garantir a proteção de direitos que devem ser preservados.”

“Uma das coisas inspiradoras em interpretar Claire é que ela é uma mulher forte, que se opõe ao chauvinismo e isso realmente me fez refletir sobre minhas próprias responsabilidades, como alguém que tem uma plataforma. Percebo que algumas pessoas não gostam que atores expressem suas opiniões políticas, mas somos seres humanos vivendo neste mundo, respondendo ao que está acontecendo, por que não podemos nos posicionar contra o que consideramos injusto?”

Pergunta: “O que você seria se não fosse atriz?”

“Existe essa ideia de que se você não nasceu num lugar de privilégio, de alguma forma sua vida não tem o mesmo valor. E isso é nojento.” 

“Eu acredito que, não importa o que você faça, você deve ser um cidadão do mundo responsável.”

“Eu sempre tento me posicionar e falar por pessoas que não têm voz. Como uma das modelos mais antigas, mesmo que tivesse apenas 19 anos… Acho que, de certa forma, sempre assumi o papel de tentar cuidar e proteger essas garotas.”

Fonte: The Music Sweetly (Tumblr)

Igualdade no entretenimento

“Olhando para o desequilíbrio de poder e por que não há tantas mulheres em cargos de tomada de decisão, você percebe que grande parte disso ocorre porque nós precisamos dar um passo adiante e nos tornarmos esses números, ocuparmos os postos de direção, nos tornarmos os escritores que estão criando papéis. Acho que foi um grande alerta para mim, porque depende de cada uma de nós fazer nossa parte.” 

“Não sei dizer quantos rapazes tiveram filhos, mas todos tiveram condições de ter uma família e manter esse ótimo trabalho há cinco anos, isso não os afeta – exceto, talvez, por dormirem menos à noite. Eles conseguem ter tudo [ao contrário das mulheres]. O que você faz sobre isso?”

“As pessoas que costumavam controlar o dinheiro eram um grupo seleto de homens brancos de meia idade, mas isso está mudando. E quanto mais isso for mudando, mais veremos histórias inclusivas serem contadas.”

“Definitivamente, há histórias que eu gostaria de contar. Eu gostaria de ver mais filmes focados na vida de mulheres.”

“Não vamos fazer dele [Times Up] apenas um momento, vamos seguir conversando. A quantidade de mudanças que surgiu desse movimento é incrível. A quantidade de dinheiro arrecadada pelo fundo e a ajuda que ele está podendo fornecer a outras pessoas… Isso mudou vidas. Acho que estamos no começo de algo que vai continuar crescendo e é importante seguir trabalhando por transformações daqui pra frente.” 

Confiança e persistência

“Quando deixei a carreira de modelo, eu me mudei para Los Angeles e sou muito grata por ter podido me afastar por um ano. Muito desse tempo serviu para tratar vários dos problemas mentais que eu havia adquirido no mundo da moda, porque sua confiança e sua a autoestima vão parar no chão depois de tanto tempo nesse ramo.”

“Eu tento ser como uma esponja e absorver o máximo que posso quando estou trabalhando com outras pessoas. Existe uma confiança em observar outros profissionais fazendo o que sabem no dia a dia e aprender com eles. Você sente como: ‘oh, eu posso fazer isso!’.”

“Pelo menos para mim, ter esse combustível para provar que as pessoas estão erradas… Isso definitivamente me estimula e me faz querer trabalhar mais.”

“Não aceite não como resposta e continue a combater o bom combate, o que eu acho que todos nós devemos fazer.”

“Ela [Claire] tem uma capacidade tão grande de sentir, se emocionar, e isso é algo incrível de interpretar. Você realmente consegue expressar essas emoções com muita intensidade. Interpretá-la me deu uma confiança e força que acho que eu não tinha cinco anos atrás.”

“Acredite na sua intuição e não tenha medo.”

Trajetória profissional

“Para entrar nessa indústria sem referências e começar do zero… Muitas pessoas pensavam: ‘ah, você está maluca!’. Você definitivamente precisa de um pouco de ilusão” [para seguir em frente].

“Me sinto feliz por ter começado a atuar mais tarde, porque eu tive essa riqueza de experiências de vida. Não sei se teria sido capaz de lidar com isso se tivesse ido para Los Angeles aos 22 anos.”

“Eu estava literalmente comendo, sonhando, vivendo Outlander. E sim, eu quase enlouqueci. Mas, ao mesmo tempo, eu acho que às vezes as circunstâncias conspiram para lhe dar a melhor oportunidade da sua vida.”

“Todas essas coisas com as quais você sonha, um dia – se você trabalhar duro – você terá isso e muito mais. Eu cresci numa pequena vila no meio do nada e nunca imaginaria que poderia chegar aqui.” [sobre o que diria para ela mesma no passado]

“Tem sido realmente maravilhoso fazer parte de algo com que as pessoas se importam tanto. É incrível estar envolvida nisso e ter fãs que dividem com você o amor que eles sentem pelos personagens e livros. Tenho consciência de como tenho sorte nesse aspecto.”

“É realmente muito bom ser reconhecida. Olho para as outras indicadas da categoria [melhor atriz de drama em série de TV] e fico admirada, porque amo o que elas fazem. Olhando para trás, há cinco anos, nunca imaginei que estaria aqui. E isso é um feito pessoal incrível.”

Parabéns, Caitriona Balfe! E obrigada por nos inspirar a sermos pessoas melhores!

#PayMyTherapy

#PayMyCaipirinha

#UmaInspiraçãoChamadaCaitrionaBalfe

#TeamSIS

Para ler este post em inglês, clique aqui.

Agora você pode nos ajudar a conseguir ainda mais investigações, teorias, entrevistas legendadas e análises. Faça a diferença no SIS e acesse o Apoia.se para ter conteúdo on demand exclusivo para você.

Autora: Camila Miranda

Mídias: Catarina Balfe

Revisão (português): Thaís Belluzo

Tradução: Bianca Cuglovici

Revisão (inglês): Bianca Portela

Montagem: Carolina Ramires

SM: Carolina Ramires

Deixe um comentário

Este post tem um comentário

  1. Cait de fato é inspiradora. Amei a seleção das frases.

Deixe uma resposta

Fechar Menu