326 dias.

É o tempo de espera para ver nosso casal preferido nas telas.

TREZENTOS E VINTE E SEIS dias.

Bom, para sermos justas, desde o último episódio (que quase nos matou do coração) da terceira temporada até hoje, já se passaram pouco mais de 240 dias, ou seja, estamos na reta final.

Faltam menos de 86 agora!

Sobreviveremos SISters!

A data da quarta temporada foi divulgada, dia 4 de novembro, e enquanto ela não chega, separamos um esquenta com uma série de posts para matarmos a saudade da nossa série preferida e te deixar por dentro de tudo.

Aqui vamos comparar livros e série e dar muitas informações para você chegar na quarta temporada mais do que preparada. Atenção, esse texto pode conter alguns SPOILERS! (devidamente sinalizados)

Então leia com cuidado.

Pegue a sua caipirinha que o nosso esquenta para a quarta temporada vai começar!

Je suis Prest?

Antes de iniciarmos este post, vamos a um fato curioso que às vezes causa uma certa confusão aos amantes das Teorias de Outlander: há uma controvérsia na linha do tempo de nossa história. Quando o livro foi lançado nos EUA, DG escreveu que Claire e Frank foram de viagem a Escócia após o final da Segunda Guerra, em 1945.

Quando o livro foi analisado e lançado na Inglaterra, os editores não aceitaram esta data alegando que ninguém passeava pela Europa em 1945. Eles alteraram o ano para 1946. Em 1947, a Inglaterra ainda não tinha aberto as fronteiras do seu país.

Exatamente quando abriu não sabemos, mas sabemos que não foi feito até estar quase tudo reconstruído.

Na série, a data permaneceu em 1945. Na narrativa é explicado que Claire e Frank foram para Escócia não só pelos laços históricos com o passado dele, mas também porque era um dos poucos lugares que não haviam sido totalmente destruídos durante a Segunda Guerra.

Bom, feitas essas considerações, vamos ao post!

Escolhemos falar de um assunto delícia para dar aquele gostinho de quero mais: vamos contar sobre a nova casa de Jamie e Claire.

O último episódio da terceira temporada termina com o naufrágio do navio e com nossos pombinhos sãos e salvos numa praia na América.

E foi nesse continente que eles construíram o Fraser’s Ridge.

Mas vocês sabem o que é o Ridge?

Todo leitor de Outlander já leu o termo Ridge pelo menos uma vez nos livros, ou várias. Essa palavra significa colina, cordilheira, cume, morro. Trata-se, de forma geral, de um acidente geográfico com uma pequena elevação de terreno e um declínio suave.
Falando em bom português: é um lugar bonito pra C$%¨&*#$.

É nesse local onde nosso casal preferido vivenciará momentos extraordinários, felizes, cheios de emoção e também (porque não) tristeza.

Nessa temporada você vai ouvir falar muito sobre nossa colina e aprenderá a amar e respeitar esse lugar.

E onde fica esse paraíso cheio de Frasers fora da Escócia?

Fica no novo mundo, nos Estados Unidos da América, mais especificamente na Carolina do Norte.

Nos livros, Jamie recebe uma oferta de terras do governador da Carolina do Norte, William Tryon. O mais interessante é que este governador foi uma pessoa real na história dos EUA, resultado da mescla de personagens históricos com nossos amados Frasers, que torna a narrativa muito mais rica e interessante.

Fraser’s Ridge na época de Outlander

Fraser’s Ridge teria o tamanho aproximado de dez mil acres, o equivalente a 40km². O local é descrito como “selvagem” quando Claire e Jamie chegam. A cordilheira possui rios, clareiras, gramados, ladeiras e animais selvagens. A terra perto do rio é usada para o plantio, e as ladeiras, para a drenagem.

A região é muito fria no inverno (há vários trechos em que a neve é citada) e muito quente no verão (de verão a gente entende), inclusive temos várias descrições de dias extremamente quentes.

Onde seria Fraser’s Ridge nos dias de hoje? Diana Gabaldon disse que Fraser’s Ridge fica há aproximadamente 16km da Blowing Rock ou de Boone, ambos na Carolina do Norte. O local cobre as margens do Rio Yadkin, que corta o estado.

O Google aponta a Fraser’s Ridge como um marco histórico da Carolina do Norte, cujo endereço é Taylorsville, NC, 28681, EUA

Na vida real, a cidade que atualmente é conhecida como Taylorsville foi formada no condado Alexander, no ano de 1847, depois que quase 47 acres foram doados para a sua formação. A maior parte das terras era de floresta e a estrada, que ligava a cidade de Statesville a Morganton, passava apenas pela região sul da cidade.

Mas por que Jamie escolheu esse local dentre tantas terras?

A existência de morangos silvestres na região foi o que fez Jamie considerar a oferta para recomeçar a sua vida com Claire nessa terras “selvagens”.

Fraser vem do Francês, fraises, que significa morangos. Isso faz da fruta o símbolo do clã escocês mais amado por nós. Para Jamie, os morangos eram uma espécie de sinal de que ali seria o local ideal para construir seu lar.

“Morangos sempre foram o emblema do clã. Para começar, é o que o nome significava, quando um Monsieur Fréselière veio da França com o rei William e tomou algumas terras nas montanhas escocesas.
— Flores, frutas e folhas juntas de uma vez. As flores brancas representam a honra, as frutas vermelhas coragem… e as folhas verdes, a constância.”

Tambores de Outono, Capítulo Strawberry Fields Forever

Para inaugurar e celebrar o novo lar, Claire e Jamie fazem um ritual bem… interessante de fertilização dos campos.

Quem eram os vizinhos dos Frasers?

Nos livros de Outlander, Fraser’s Ridge fazia divisa com uma reserva indígena. O nome dela é Anna Ooka e (surpresa) ela existiu na vida real!

A reserva aparece em várias pesquisas sobre o século XVIII, mas a origem e a história do lugar são totalmente desconhecidas.

Como toda descoberta de novos continentes, iniciada pelos navegantes, principalmente os portugueses e espanhóis, a colonização nos EUA partiu da região litorânea, para o interior.

Quando nosso casal ali aportou, havia uma política de incentivo à colonização, proposta principalmente para os novos imigrantes que ali chegavam. Foi no sonho de se fixar e voltar a ser um Senhor de Terras que Jamie olhou para as montanhas de Fraser’s Ridge com novas possibilidades e perspectivas desse sonho se tornar a sua realidade.

Porém, quanto mais para o interior ele se dirigia, mais próximo das divisas com os indígenas ele ficava. Este era o receio de muitos dos imigrantes e novos moradores do interior.

Fraser’s Ridge estava praticamente cercada por estes nativos, alguns temerários e outros mais amigáveis. No decorrer da história do quarto livro, Diana Gabaldon introduziu alguns desses nativos, dentre eles os Tuscorara e os Mohawk. Estas duas tribos terão um papel importante e determinante na vida do nosso casal, principalmente na de Claire, onde ela estreitará relações com uma xamã.

Tanto os Tusoracas quanto os Mowhawk faziam parte de uma confederação, uma união de seis tribos denominadas Iroqueses.

Pelo pouco que vimos no teaser, eles são até parecidos com os personagens e o trabalho de Terry mais uma vez deve ser destaque na série.

Pelo que pude apurar durante minhas pesquisas, queria ressaltar que a maioria dos fatos ali narrados por Diana Gabaldon são verdadeiros
sendo, evidentemente, os personagens fictícios.

Não muito tempo depois de se estabelecerem em Fraser’s Ridge, Claire e Jamie recebem uma visita de um índio de Anna Ooka.

Com o passar do tempo, Claire, Jamie e Ian interagem frequentemente com os índios Tuscarora de Anna Ooka e mais tarde visitam a reserva indígena. Essa tribo é conhecida   por sua cordialidade e hospitalidade, pelo menos um tanto mais do que a maioria das pessoas que Jamie conheceu na Inglaterra.

Você pode estar se perguntando: em que momento no tempo tudo isso aconteceu?

Claire e Jamie chegaram às Colônias Americanas no ano de 1767 e apesar dos ares de renovação, o momento era de tensão. Isso porque as 13 colônias estavam há um longo período em conflito com os “Senhores de suas Terras” – primariamente a Inglaterra.

Mas a tensão não era apenas no novo mundo. Na Escócia, as coisas não iam tão bem. Depois da Batalha de Culloden, um grande número de escoceses chegaram a emigrar para as Treze Colônias.  

Eles fugiam das medidas absurdas que a Coroa aplicou ao povo escocês após o Levante Jacobita, como a proibição do uso de kilts e tartans, o banimento do sistema de clãs e até mesmo o uso de instrumentos tipicamente escoceses como a gaita-de-foles.

A América, apesar de na época ainda estar sob o domínio da Inglaterra, oferecia a promessa de uma vida melhor para o escocês, principalmente na região das Carolinas e na Virgínia.

A viagem da Escócia para as colônias era feita em navios, geralmente superlotados e em condições ruins até para os que possuíam melhores condições financeiras.

Mais de 50.000 escoceses se instalaram nas Treze Colônias entre 1763 e 1776, especialmente na Carolina do Norte.

Em 1739, Gabriel Johnston, governador real da Carolina do Norte e escocês nato, encorajou 360 highlanders a se instalarem na Carolina do Norte e, em retorno, os novos moradores teriam dez anos de isenção fiscal, o mesmo tipo de oferta que Jamie recebeu do Governador Tyron, assim que chegou à América.

Antes de Jamie sair da prisão de Ardsmuir, a caminho de Hellwater, ele pergunta a John Grey para onde os outros prisioneiros seriam levados.

Acontece que, naquela época, as colônias da Coroa Inglesa ainda recebiam muitos prisioneiros em condicional, que no futuro acabariam se assentando por lá. Jamie os procurará mais tarde, para convidá-los a ocupar suas terras em Fraser’s Ridge.

O sistema de Clãs continuava na América?

O contrato que Jamie tinha com o Governador Tryon permitia implantar o sistema de “clãs” em Ridge. Isso nada mais é do que um arrendamento.

Este tratado com o Governador levou Jamie mais uma vez para a Guerra, ainda contra os primeiros “levantes” dos quakers, no qual Roger foi enforcado.

Este tipo de contrato foi estimulado pela coroa com o intuito de habitar e desenvolver o interior das colônias.

Os quakers foram os primeiros a se rebelar contra a coroa inglesa, por causa das altas taxas de impostos cobradas pela coroa.

Quakers (ou amigos) são membros de um movimento religioso cristão que começou na Inglaterra no século 17 e se espalhou por todo os Estados Unidos, Canadá, México e América Central.

Alguns quakers originalmente vieram para a América do Norte para espalhar suas crenças para os colonos britânicos, enquanto outros vieram para escapar da perseguição que sofreram na Europa.

Os primeiros quakers conhecidos na América do Norte chegaram à colônia da Baía de Massachusetts em 1656, via Barbados, e logo se juntaram a outros pregadores quakers que converteram muitos colonos ao quakerismo.

É fatos reais que você quer, @?

Dezenove dos cinquenta e seis delegados que assinaram a Declaração de Independência dos Estados Unidos eram escoceses ou descendentes.

Entre os nomes de escoceses das Highlands que se estabeleceram na Carolina do Norte está Flora McDonald, que ajudou a salvar a vida do Bonnie Prince Charlie após a Batalha de Culloden. Ela residiu com seu marido, Alan, na comunidade de Barbecue, condado de Harnett, entre os anos 1774 e 1778.

O ícone americano Tio Sam, que incorpora o espírito americano mais que qualquer outra figura, na verdade foi baseado em um homem real.

Um empresário de Troy, Nova York, Samuel Wilson, cujos pais navegaram para a América a partir de Greenock, na Escócia, foi oficialmente reconhecido como o Tio Sam original. Ele forneceu o exército com carne de porco em barris durante a guerra de 1812. Os barris foram rotulados com a sigla “U.S.” (United States, em tradução livre, Estados Unidos), mas foi uma brincadeira entre os soldados, que diziam que os barris vinham de Uncle Sam (Tio Sam), em referência a Samuel. Mais tarde, Tio Sam foi usado como abreviação para denominar o governo federal dos EUA.

Quais  serão os novos personagens da quarta temporada?

Uma das coisas mais interessantes de Outlander é que cada temporada é bastante diferente uma da outra. Com as mudanças na história, nós sempre nos despedimos de alguns personagens queridos, o que é triste (saudade Rupert e Angus).

Mas nós também somos  apresentados a novos personagens incríveis (e outros nem tanto) e a quarta temporada não é diferente. Atenção, pode conter alguns spoilers!

Aqui nós vamos te apresentar a alguns deles:

William Tryon

Foi governador da Carolina da Norte até o ano de 1771, quando foi nomeado Governador de New York.

Em 26 de abril de 1764, William Tryon foi nomeado Governador da Carolina do Norte. Houve uma pequena controvérsia já que ali já havia outro Governador, Arthur Dobbs, que se recusou a se retirar do cargo.

Tryon seguiu como vice governador até o ano de 1765, quando Dobbs adoeceu e veio a falecer em 28 de março de 1765. Em 10 de julho daquele mesmo ano o rei o promoveu a Governador.

Em julho de 1767, Jamie Fraser é apresentado ao Governador durante um jantar, e durante este jantar, um tratado é firmado. Segurem-se nas poltronas, que ele ainda vai direta ou indiretamente interferir na vida do nosso casalzinho preferido!!!

Stephen Bonnet

Irlandês, Bonnet tornou-se órfão muito cedo, cresceu autossuficiente e começou a trabalhar em navios mercantes. Em determinado momento de sua vida, ele se estabeleceu em Inverness e começou a trabalhar como “pedreiro” em uma taberna.

Quase foi morto, sendo oferecido como sacrifício para cumprir uma antiga tradição.

Depois desse ocorrido, Bonnet nunca mais trabalhou em terra firme, passando toda sua vida a percorrer os sete mares (Tim Maia ia adorar Bonnet).

Personagem desprezível, pirata, contrabandista, assassino e dono de uma lábia  fantástica, até nosso amado Jamie caiu na conversa dele (sossega estagiária, sem spoiler, ordem da chefia… Vou soltar só mais um, esse mais inocente… o cara encanta e promete desencantar os mais profundos sonhos da mulherada). Ai…ai!

Jocasta Cameron Innes

É a irmã mais nova de Ellen Fraser, Collum e Dougal Mackenzie. Nascida em 1702, foi casada com John Cameron, com quem teve uma filha, Clementina Cameron, em 1718. Clementina teve dois filhos, viúva. Clementina e seus filhos morreram durante a varredura da Coroa Inglesa, após a Batalha de Culloden. John morreu de desidratação.

Ah! Pobre titia, perdeu toda a família.

Jocasta se casa novamente com  Hugh Cameron, que era primo do seu primeiro marido, John. Eles tiveram uma filha, Seonag. Hugh morreu durante uma viagem de caça, deixando Jocasta novamente viúva (a mulher gosta desse estado civil, não é possível).

Seonag se casou e teve um filho. Seu marido morreu durante a Batalha de Culloden, ela e o filho, logo em seguida (DG ama uma desgraça, o alimento preferido dela, cá entre nós).

Mas titia, que de boba não tem nada, se casou novamente e, pasmem, com outro Cameron (sei não viu, estes Cameron devem concorrer com Jamie Fraser, ou a mulher tinha outras intenções…FOCO estagiária).

Seu novo marido e TERCEIRO era Hector Cameron, e nem vou dizer o que sempre se repetiu na vida de Jocasta: eles tiveram uma filha, Morna Cameron; durante o Levante Jacobita e vendo já a causa perdida, eles decidiram fugir.

Durante a fuga, Cameron atirou na própria filha sem querer (não, ele não deve nem ser comparado a Jamie, a não ser que ele tenha outros dotes que desconhecemos… de novo estagiária, FOCO), refugiaram-se na América adquirindo uma fazenda, chamada River Run, situada próximo a Cross Creek. Hector morreu de gripe e Jocasta manteve seu padrão viúva.

Mas não se iludam e nem sintam peninha da titia. Atrás dessa desgraça toda e dessa capa de boa senhora, há uma mulher forte, destemida e muito autoritária.

Rollo

Não poderíamos deixar de falar do cachorro (meio cachorro, meio lobo) mais amado de Outlander.

Agora que você está super inteirada sobre o contexto histórico e social da Carolina do Norte na época, resta saber o que mais importa:

Quais são as suas expectativas para Fraser’s Ridge na quarta temporada?

#PayMyTherapy

#PayMyCaipirinha

#Outlander

Para ler esse post em inglês, clique aqui.

Agora você pode nos ajudar a conseguir ainda mais investigações, teorias, entrevistas legendadas e análises. Faça a diferença no SIS e acesse o Apoia.se para ter conteúdo on demand exclusivo para você.

Autoras e pesquisadoras: Thaís, Alexandra, Catarina Balfe, Queen Victoria
Organizadoras do texto: Flávia e Bianca
Contexto Histórico: Thaís, Alexandra, Queen Victoria, Catarina Balfe
Mídia: Catarina Balfe
Artes: Talita, Catarina Balfe
Legendas: Queen Victoria
Formatação: Thaís
Revisora PT: Thaís, Alexandra, Manu
Tradução e revisão ENG: Bianca
Montagem: Alexandra
SM: Alexandra

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Fechar Menu