Descrever 2018 como particularmente tumultuado seria um eufemismo. Este ano trouxe, para Cait, mudanças dramáticas, tanto pessoais quanto de estilo, que ainda causam pequenos tremores no fandom. Ele pode ser descrito como o ano de viver perigosamente.

Para resumir em uma frase, eu o descreveria como O Chutzpah de Caitriona. O significado iídiche tem muitas interpretações. Chutzpah é a qualidade da audácia, para o bem ou para o mal. A palavra iídiche é derivada do hebraico “hutspa”, que significa “insolência”, “atrevida” ou “audácia”.

Esta é a Caitriona de 2018.

O novo ano inaugurou mudanças dramáticas no visual de Dora. No final de 2017, fomos apresentadas à sua franja.

Então chegou janeiro e o GG com aquele golpe. Foi tão dramático que você poderia ser perdoada por acreditar que os quatro cavaleiros do apocalipse estavam sinalizando o fim dos dias.

Já estamos em outubro e nada mudou, isso ainda é pauta para discussão e críticas. É interessante que nós, como mulheres, teorizamos tanto na psicologia por trás da escolha de uma mulher em cortar o cabelo.

Caitriona sempre tomou decisões arriscadas, como sair de casa aos 18 anos para perseguir a carreira de modelo em um novo país, sem conhecer o idioma e não ter segurança no emprego. Bem, isso é ousado. E depois de uma carreira de sucesso, ela decidiu novamente perseguir um sonho, desta vez para trabalhar em tempo integral como atriz já com cerca de 30 anos de idade.

Uma decisão muito corajosa.

É audacioso tornar-se atriz em uma idade em que mesmo a atriz mais consagrada é conhecida por lutar para conseguir trabalho, devido ao preconceito de idade que há em Hollywood, especialmente com mulheres com mais de 30.

Mas ela conseguiu fazer isso com estilo e graça. Conseguiu pequenos papéis que eventualmente a levaram a ser escalada como protagonista em Outlander.

Mais uma vez ela mudou de país para começar uma nova vida e um novo desafio, com as mesmas incertezas. Eu me pergunto quantas de nós sairíamos da nossa zona de conforto em poucas semanas, largariam uma vida confortável em Los Angeles para outra ainda incerta?

O que me leva a 2018. Um ano desafiador, com anúncios que deixaram muitos fãs se questionando o que nos foi apresentado como fatos. Com um novo visual, um novo estilo e uma atitude sem sentido, Caitriona tem sido criticada por quase todas as opiniões e escolhas de moda, implacavelmente.

Houve tentativas de silenciá-la. Particularmente em relação às suas posturas de justiça política e social.

A mais consistente é que ela não tem direito a uma opinião porque é “apenas uma atriz” e não “americana”. Comentário vicioso deixado em seus posts no Instagram e no Twitter. Mas nem uma vez ela removeu comentários negativos, cruéis e incendiários.

Ela exibiu o direito dos indivíduos à “liberdade de expressão”. Mesmo aqueles que se opõem à sua opinião, gritando para que ela se cale. Ah, a ironia.

A crítica e o escárnio que alguns fãs (e eu uso essa palavra com prudência) mostraram a ela em suas escolhas de estilo e opiniões políticas e sociais tem sido vergonhosos.

Isso me leva de volta às garotas malvadas no ensino médio. Atitudes mesquinhas e mal-intencionadas.

O argumento de que eles têm o direito de expressar sua antipatia por uma roupa porque são fãs dela é insultuoso.

Porque nenhum deles ousaria dizer isso na cara dela. Muitas pessoas tiveram a oportunidade de fazê-lo nas cons, mas não tiveram coragem, sentindo-se seguros pelo anonimato da internet para insultá-la sem piedade.

Mas ela não vacilou. Ela marcha em seu próprio ritmo, e os críticos que se ferrem. Chutzpah!!

Eu não estou colocando Caitriona em um pedestal. Ela é humana e muito falível. Pessoalmente, acredito que ela cometeu um grande erro este ano. O meu desejo de aniversário para ela é que um dia ela permita-nos, suas SISters seguidoras, celebrar uma vida feliz com o seu verdadeiro amor e ser livre para ser o seu verdadeiro eu.

Finalizo com uma frase de Maya Angelou:

“Eu aprendi que as pessoas vão esquecer o que você disse, as pessoas vão esquecer o que você fez, mas as pessoas nunca vão esquecer como você as fez sentir”.

Muitos fãs compartilharam que é assim que eles se sentiram depois de conhecer Caitriona, e é nisso que eu escolho acreditar.

Feliz Aniversário, Caitriona

#PayMyTherapy

#PayMyCaipirinha

#aMeninaDePatins

#CaitsWeek

#DiaDeMary

Para ler este post em inglês, clique aqui.

Agora você pode nos ajudar a conseguir ainda mais investigações, teorias, entrevistas legendadas e análises. Faça a diferença no SIS e acesse o Apoia.se para ter conteúdo on demand exclusivo para você.

Autora: JPG
Imagens: Catarina Balfe
Arts & Memes: Catarina Balfe
Formatação (texto): Thaís Belluzzo
Revisão (português): Manu and Thaís Belluzzo
Tradutora: Eloise Zanatto
Revisão (inglês): Bianca Portela
Montagem: Alexandra Favoretto
SM: Alexandra Favoretto

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Fechar Menu